domingo, 20 de maio de 2018

Bolsonaro como imagem invertida de Lula

Por Almir M. Quites



Nota inicial:
Primeiramente esclareço que não acredito no processo eleitoral brasileiro e, por coerência, não participo dele. Sempre vou à cabine eleitoral e lá faço o Protesto do Joãozinho.


Recebi muitas críticas e contestações quando defendi a Procuradoria Geral da República (PGR) no episódio do dia 13 do mês passado, no qual Jair Bolsonaro foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela pela prática de racismo contra quilombolas, indígenas, refugiados, mulheres e LGBTs (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros). 

A insistência dos leitores em restringir a questão a um problema meramente de disputa eleitoral é tanta, que esta é a segunda vez que utilizo meu blog para explicar o meu entendimento sobre o caso. Neste artigo de hoje, repito os argumentos já apresentados, com uma redação mais clara, e acrescento uma comparação comportamental entre Bolsonaro e Lula.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Manual do Protesto do Joãozinho versão 2018

Por Almir Quites



Atenção: só para quem não confia na apuração secreta! Se você não acredita, então tem o dever de não votar. Não seja conivente!

LEIA SOBRE COMO FAZER O PROTESTO DO JOÃOZINHO


Nota: 
Se cerca de 5% dos eleitores fizessem este tipo de protesto, causariam um reboliço nacional. Despertariam a consciência nacional para esta causa!

O mau exemplo vem da Corte suprema

Por Almir M.  Quites

Gilmar Mendes falando com seus neurônios

Este mau exemplo veio da suprema Corte!

Tomei conhecimento, nesta semana (em 11/05/2018), de que um grupo de empresas e instituições repassou, só em 2016, a título de patrocínio, a bagatela de R$ 7 milhões de reais para o Instituto de Direito Público (IDP), a faculdade de propriedade do ministro Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal (STF).


segunda-feira, 14 de maio de 2018

Junta apuradora de votos inexistentes

Por Almir M. Quites



Nós, brasileiros, agimos como tansos sempre que participamos deste processo eleitoral de cartas marcadas. 

Basta analisar o sistema eleitoral desde o modo como os candidatos são escolhidos até a apuração eleitoral eletrônica, a qual é secreta, feita por pessoas desconhecidas e sem qualquer possibilidade de fiscalização. A Junta Apuradora é uma só, para todo o Brasil. Seus membros são aqueles que elaboram os softwares de apuração, transmissão de dados e de totalização. Você conhece algum deles? Quem são eles? 

Um software é o conjunto de comandos humanos escritos em linguagem de máquina. Estes programadores, que fazem o software, são os que de fato fazem a apuração eleitoral. A urna-computador apenas obedece cegamente a estes comandos. Se um destes seres humanos for desonesto, o software também será. O software apenas conta e transmite sinais elétricos gerados por ele próprio no momento em que o eleitor aperta o famigerado BOTÃO CONFIRMA. Quem pode fiscalizar este processo em que não existem votos reais?

Enquanto não rejeitarmos este sistema de apuração eleitoral, como fazem todas as democracias do mundo, continuaremos passando atestado de idiotia. 

Ressalvo que, nos EUA, cada estado tem um sistema diferente, mas, mesmo assim, os especialistas norte americanos se preocupam e alertam o povo e o governo contra a apuração eletrônica. 

Não deixe de ler:
A FARSA ELEITORAL, segundo Javier Loaiza
http://almirquites.blogspot.com/2018/04/a-farsa-eleitoral-segundo-javier-loaiza.html
(Javier Loaiza é autor dos livros “La Farsa Electoral”, “Partidos de Ciudadanos”, “El Tamaño del Cambio”, todos editados pela Amazon)

Trata-se de uma análise documentada das distintas formas eleitorais do mundo, das fraudes e recomendações para se reconstruir a integridade eleitoral. 

Vale a pena ler!

Veja abaixo o novo vídeo apresentado por Alex Halderman (Professor of Computer Science Engineering University of Michigan) mostrando como é fácil para ele violar as urnas eletrônicas sem voto impresso fabricadas pela Diebold. "Se eu posso, os russos também podem", disse ele. 

Alex é o técnico que o TSE proibiu de participar da auditoria das urnas usadas na eleição de 2014 no Brasil.

Alex Halderman: "It’s time America’s leaders got serious about voting security".


====
https://youtu.be/3qr67h54VO0

Nota: 
C-SPAN é um serviço público criado pela American Cable Television Industry



POVO ILUDIDO É POVO VENCIDO, EMPOBRECIDO!

𝓐𝓵𝓶𝓲𝓻 𝓠𝓾𝓲𝓽𝓮𝓼
Almir Quites

`°•○●□■♢《  》♢■□●○•°`


Para ler artigos sobre as urnas eletrônicas brasileiras
clique aqui

Para mais artigos deste blogue ("weblog")
Clique sobre o título.

  1. Eleições no Paraguai e sua história recente
  2. Sistema eleitoral trapaceiro
  3. O esvair político de Lula
  4. Lula alienado
  5. O povo julga o Judiciário
  6. Não há o que comemorar
  7. Historinha do Facebook
  8. Democracia de faz de conta 
  9. O voto cego do eleitor brasileiro
  10. Povo desinformado faz gol contra
_____________________________________________________
Aviso sobre comentários 
Comentários contra e a favor são bem vindos, mesmo que ácidos, desde que não contenham agressões gratuitas, meros xingamentos, racismos e outras variantes que desqualificam qualquer debatedor. Fundamentem suas opiniões e sejam bem-vindos. Por favor, evite o anonimato! Escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
______________________________________________________

 COMPARTILHE ESTA POSTAGEM 

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Nação iludida, democracia perdida

Por Almir M. Quites

No país das ovelhas quem escolhe os candidatos são os lobos e os leões.
Fonte da imagem: 
http://1.bp.blogspot.com/-nFSE61YXZgs/U4chKuin_SI/AAAAAAAAtJE/ToiC8o7Pd2g/

Um povo sempre será sofredor e submisso, se não for capaz de perceber e interpretar os fatos reais da política. A democracia, se existir, será inútil.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

O mau exemplo do candidato

Por Almir M. Quites

Gafes de Bolsonaro

Ao comentar a notícia de que o pré-candidato à Presidência da República, o deputado federal Jair Bolsonaro fora denunciado pela PGR (Procuradoria-Geral da República) no dia 13/04/18, pela prática de racismo contra quilombolas, indígenas, refugiado, mulheres e LGBTs (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), recebi de um leitor o seguinte comentário indignado:
 Nesse país, não se pode falar a verdade que se é chamado de racista, fascista e outros adjetivos, principalmente se for o Jair Bolsonaro. Lula disse que Pelotas, "era um pólo exportador de viados", mas tudo bem; chamou as mulheres do PT de "mulheres do grelo duro", não tem problema; o Deputado Jean Wyllis cuspiu no rosto de Bolsonaro, não tem problema; mas o Bolsonaro falar que a Maria do Rosário "não merece ser estuprada", dá processo; ele falar que "o negro mais magro do quilombo, pesa 7 arrobas", dá processo. Vamos elegê-lo no primeiro turno, e pronto.

domingo, 6 de maio de 2018

Envelheçamos!

Por Almir M. Quites


Um basqueteiro idoso

Todos querem envelhecer, mas poucos conseguem! 

No Brasil, atualmente apenas 13% da população ultrapassa a idade de 60 anos e é considerado formalmente um idoso, mas esta percentagem vem aumentando. No ano 2000, nós, os idosos, éramos oito milhões. Hoje, em 2018, já somos 27 milhões.  

terça-feira, 1 de maio de 2018

Gilmar na caverna de Temer

Por José J. de Espíndola #

Seguindo o edificante exemplo de Joesley Batista, na calada da noite Gilmar Mendes é recebido – também sem agenda publicada, portanto também clandestinamente – na caverna de Ali Baba, quero dizer, na caverna do Temer, no palácio do Jaburu.

domingo, 29 de abril de 2018

Invasão de "Fake News"

Por Almir M. Quites

Os pessoas e grupos das redes sociais publicam muitas mensagens falsas, boatos ("fake news"). Repassam mentiras sem o mínimo cuidado quanto a veracidade. Algumas já não distinguem o real do virtual.

sábado, 28 de abril de 2018

Desilusão é só para iludidos

Por Almir Quites - 26/12/2017


Liberte-se da idolatria. 

Em 2016, a política brasileira se tornou o segundo assunto de maior engajamento do Facebook mundial, atrás apenas das eleições norte-americanas.

domingo, 22 de abril de 2018

Intervenção militar seria tiro pela culatra

Por Almir M. Quites


Nota inicial

Escrevi este texto em dezembro de 2017, quando, no Facebook, que "o poder emana das armas". Percebi que mensagens curtíssimas, comumente contraditórias entre si e também com os fatos, são artificialmente "viralizadas" nas redes sociais e levam multidões a tomar posições políticas absolutamente equivocadas. Uma desgraça a mais, além da corrupção. 

Transcrevo a seguir tal como foi escrito naquela época. 

Texto

O poder emana das armas? Não! O poder emana das instituições que são criadas e desenvolvidas pelos homens. Não importam as armas, mas quem as comanda! Ao se destruir as instituições nacionais, aí sim, passa a ter poder quem detém armas, porque então a "lei do mais forte se impõe". Instala-se um governo autoritário, onde o poder político é controlado por militares. A autoridade militar toma o controle da administração ordinária da justiça, o que é conhecido como Regime de Lei Marcial, onde os direitos fundamentais dos cidadãos são suprimidos e o país vive em permanente Estado de Emergência. A corrupção se intensifica, mas a censura impede que os cidadãos tomem conhecimento dela.

Eleições no Paraguai e sua história recente

Por Almir M. Quites
A urna de plástico transparente usada no Paraguai
Hoje tem eleições no Paraguai. Quatro milhões e 200 mil eleitores vão às urnas. Instruções como "Ehai ko'ápe"   ou "marque aqui", em guarani   constarão, pela primeira vez, das cédulas eleitorais presidenciais.

O candidato Mario Abdo Benítez é considerado favorito, o que deve dar ao Partido Colorado mais cinco anos à frente do governo paraguaio. Também serão eleitos senadores, governadores e deputados.

Busca pelo mês

Almir Quites

Seguir por e-mail

Wikipedia

Resultados da pesquisa