sábado, 28 de outubro de 2017

A ministra e suas comoventes declarações

Por Almir M. Quites



Ontem (27/10/2017), a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, participou de um seminário sobre "as mulheres na Justiça", realizado na Embaixada da França, em Brasília. Aí, ela afirmou que o fato de ocupar a chefia de um dos poderes da República não passa de um dado "circunstancial" num país cuja sociedade permanece, em grande medida, "patrimonialista, machista e muito preconceituosa com a mulher". 

Claro que não há nada de errado no que ela diz. Qualquer cidadão comum poderia dizer isto e lamentar este fato com indiscutível sinceridade, até angustiado por se sentir impotente para corrigir tais problemas. No entanto, Cármen Lúcia é a presidente da mais alta Corte de Justiça do país. Ela poderia, por exemplo, empenhar-se corajosamente: 
  • para punir os governantes corruptos que sugam os recursos públicos, essenciais para desenvolver o sistema educacional brasileiro; 
  • para que o sistema eleitoral brasileiro fosse honesto e não um jogo de cartas marcadas. 
Assim o povo poderia realmente renovar a classe política, que  o mantém em completo atraso, em vez de eleger sempre os preferidos pela grande Organização Criminosa que se locupleta e exaure o Estado brasileiro. 

Para mim, a presidente do Supremo Tribunal Federal perdeu seu precioso tempo nesta sexta-feira. Ela poderia ter feito muito mais pela sociedade brasileira se estivesse trabalhando no STF. Por exemplo, se tivesse se dedicado mais a estudar as consequências de suas decisões, as Assembleias Legislativas estaduais não estariam agora revendo os afastamentos de funções e outras sanções impostas pela Justiça a políticos. Como as decisões do STF geram jurisprudência, as Assembléias Estaduais se beneficiam da decisão da ministra que atribuiu à Câmara Federal o privilégio de suspender a aplicação de medidas cautelares impostas aos parlamentares pelo Judiciário. Por não perceber estas coisas, a ministra Cármen Lúcia, além de beneficiar o Senador Aécio Neves, também legalizou o corporativismo e a impunidade entre os parlamentares de todos os niveis federativos.

Pior que isto, porém, é o descaso com o sistema eleitoral. O processo de votação eletrônica brasileiro é obviamente inconstitucional porque não é transparente, de modo que cidadãos e organizações sociais independentes possam verificar a lisura do processo com seus próprios recursos. 

Em 2012, na época da chegada de Cármen Lúcia à presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE, 18/04), ela chegou a despertar uma tênue esperança para muitos brasileiros, mas não para mim. 

O tempo passou e hoje se sabe que a passagem da ministra pela presidência do TSE foi como era de se esperar: nada foi feito; a mesmice foi repetida; e algumas frases de efeito épico foram divulgadas. 

Estou me lembrando de um artigo de agosto de 2013. É interessante ver o que Cármen Lúcia pensava sobre a urna eletrônica brasileira (certamente pensa exatamente o mesmo ainda hoje). Leia aqui: 


𝓐𝓵𝓶𝓲𝓻 𝓠𝓾𝓲𝓽𝓮𝓼


`°•○□■♢☆《 AMQ 》☆♢■□○•°`

Mais artigos deste blogue ("weblog")
Clique sobre o título.
  1. As duas faces do mesmo cinismo
  2. A política brasileira é uma vergonha tragicamente ridícula
  3. Eleição no Japão é mais uma lição
  4. O jogo dos bastidores
  5. O STF, o Senado e a bagunça institucional
  6. O Enfermo Tribunal Federal
  7. Justiça salomônica brasileira
  8. A agonia brasileira
  9. OrCrim, o tumor que mata o Brasil
  10. As eleições alemãs e o vergonhoso atraso brasileiro
  11. A Corrupção é a Maior das Injustiças Sociais
  12. Que vexame aquele julgamento do TSE!

♢《 AMQ 》♢°`

_____________________________________________________
Aviso sobre comentários 
Comentários contra e a favor são bem vindos, mesmo que ácidos, desde que não contenham agressões gratuitas, meros xingamentos, racismos e outrs variantes que desqualificam qualquer debatedor. Fundamentem suas opiniões e sejam bem-vindos. Por favor, evite o anonimato! Escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
______________________________________________________
 COMPARTILHE ESTA POSTAGEM 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Busca pelo mês

Almir Quites

Seguir por e-mail

Wikipedia

Resultados da pesquisa